Sistema Cantareira: Sabesp diz que não há risco de desabastecimento e que nível crítico era esperado

Marca crítica do volume útil foi atingida no dia 10 de agosto

Sistema Cantareira: Sabesp diz que não há risco de desabastecimento e que nível crítico era esperado
Jaguari, no Vale do Paraíba, maior represa que alimenta o Sistema Cantareira (Crédito: Lucaz Lacaz Ruiz/A13)

Da Redação A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) divulgou na última terça-feira (17) dados preocupantes sobre as condições da reserva do Sistema Cantareira. De acordo com a companhia, o sistema de reservatórios atingiu 39,2% do volume útil e ligou o sinal de alerta sobre possível risco de desabastecimento.

O Cantareira abastece diariamente uma população de cerca de 7 milhões na capital paulista e Região Metropolitana de São Paulo. De acordo com a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), para que o volume útil seja considerado dentro da normalidade é necessário que esteja pelo menos acima de 60%.

O sinal de alerta é ligado quando esse volume entra na faixa entre 30% e 40%. Com queda diária do volume de água, a marca crítica foi atingida no dia 10 de agosto e desde então tem havido monitoramento diário da capacidade dos reservatórios e possíveis risco de colapso no abastecimento.

Sem riscos - A Sabesp informou que não há risco de desabastecimento neste momento na Região Metropolitana de São Paulo. O sistema de abastecimento, formado por 7 mananciais (entre eles o Cantareira), opera de forma integrada, o que permite transferência de água entre as regiões.

De acordo com a Companhia,  nos últimos anos vem sendo realizadas ações que dão mais segurança hídrica e tornam o sistema mais resiliente como a ampliação da infraestrutura, integração e transferência entre sistemas, além de campanhas de comunicação para o consumo consciente.

“Neste momento de estiagem, a queda no nível das represas é esperada e a projeção da Sabesp aponta níveis satisfatórios para os próximos meses, até 2022. Medidas adicionais às que já são realizadas serão adotadas se necessário, levando em consideração as projeções da Companhia e todo o trabalho de acompanhamento da situação que visa a assegurar o abastecimento da população. “, diz a nota da empresa.

Vale do Paraíba - Com relação aos municípios operados pela Sabesp no Vale do Paraíba, a Sabesp realiza acompanhamento diário dos níveis dos reservatórios e mananciais e no momento, mesmo com menor incidência de chuvas nessa época do ano, não há interferência que possa afetar o abastecimento de água nesses municípios.