Poucas & Boas: Em festa de jacu, inhambu não entra!

A resenha política da sua cidade!

"Claustrofobia: medo de lugares fechados. Exemplo: quando eu estou indo pro bar e sinto medo de ele estar fechado"
Humor da Internet

SampDória               
Na cidade italiana de Gênova tem dois times: um com o nome da cidade e outro que é o time do Sampdória. No governo de São Paulo temos o Dória, pensa em um cara ‘punk’. Eu resolvi juntar os dois nomes e deu no mesmo. O SampDória daqui tem fortes argumentos pra conter a prefeitada. No Palácio dos Bandeirantes tem um calhamaço de documentos parados esperando assinatura para repasses aos municípios.

Toma croquinho!
Argumentos como esses fazem recuar prefeitos de sua livre iniciativa de abertura do comércio. José Saud de Taubaté e Marcus Soliva de Guaratinguetá, foram dois deles. O gestor colocou todo o Vale na fase vermelha, mas os prefeitos das duas cidades revolveram por conta própria a permanência na fase laranja. O povo precisa trabalhar e ninguém discorda disso. Mas, o Ministério Público foi acionado e deu um ‘croquinho’ nas cabeças desobedientes hehe.

Mobilização em Pinda
Na quarta-feira, do nada, saiu pelas ruas de Pindamonhangaba um grupo de motoristas de Uber, de aplicativo 99, e alguns comerciantes. Só que era um grupo irrisório que foi se posicionar em frente à casa do prefeito, Isael Domingues. Todos queriam a reabertura do comércio, aliás, quem não quer? Na quinta-feira, após combinado, o prefeito os recebeu no gabinete e a resposta foi o que qualquer cidadão já poderia imaginar, por mais desinformado que possa ser. Ou seja, burlar a fase vermelha não rola!

Mobilização em Taubaté
Nesta sexta-feira (29), empresários também promoveram uma manifestação em carreata pelas ruas do centro de Taubaté. Todos estão revoltados com a fase vermelha imposta pelo Plano SP e reivindicavam a reabertura de estabelecimentos como bares, lojas e restaurantes.
Vários deles chegaram a abrir as portas para funcionamento, mas a prefeitura respondeu que vai intensificar a fiscalização e pode até multar os desobedientes.

Voadora
Sem querer fazer aqui o papel de ‘advogado do diabo’, é preciso que a população atente para o fato de estarmos todos engessados por uma decisão da esfera estadual e a desobediência a isso deixa o município sujeito a sanções. Em briga de saci, qualquer chute é uma voadora.

Máscara negra
Cada um usa a sua, seja de time de futebol, bichinhos da Disney, com abertura para o cigarro, com propaganda de bar... Mas, a
té esse colunista já anda ‘pistola’ com esse negócio de usar máscara (a minha é negra), álcool e gel, isolamento e parará. Sei que ‘ainda’ vivo em uma democracia, mas é uma liberdade que me cobra princípios de civilidade. Isso na linguagem do gaúcho é o mesmo que: “Não te estiques que a cama é curta!”

Isqueirinho
O que todos precisam entender é que em todo tipo de manifestação é preciso ter uma pauta. Não pode se deixar levar pelos ‘isqueirinhos’ (aqueles que põem fogo na turma e se esconde na hora que o pau come). Qual prefeito, por mais incoerente que possa ser, iria querer prejudicar a própria economia da sua cidade e ainda perder arrecadação?
E tem outra: entrar em atrito com o Governo do Estado pode prejudicar futuros repasses de recursos para o seu município, conseguem captar isso?

Vamos a La playa
O cenário é de UTIs com 100% de ocupação. Nota-se no povo semblante de apreensão, desconfiança com tudo e com todos. Mas, parte da população foi quem provocou isso quando, literalmente falando, tirou a máscara e promoveu uma espécie de ‘vingança’ em resposta à classe política que insistiu na realização das eleições em 2020. 

Digão que o diga!
A Lei da Ficha Limpa foi implacável com o ex-vereador Digão de Taubaté, que teve candidatura a prefeito abortada por seu partido devido à Lei da Ficha Limpa. Ele foi nomeado no dia 14 de janeiro secretário de Governo na nova administração que se inicia em Taubaté, mas o prefeito Jose Saud recebeu recomendação do Ministério Público para exonerar Digão.
O rapaz havia se lançado em candidatura a prefeito, mas a mesma lei impugnou sua candidatura. Realmente, um ano não acabou em ouro e outro nem pirita promete, Digão que o diga!

Fuga de investimentos
Para Philipp Schiemer, ex-presidente da filial brasileira Mercedes-Benz, o Brasil é hoje um país que não inspira confiança nos investidores internacionais e o grande vilão disso é a instabilidade política. Segundo ele, nosso país está sem credibilidade. Schiemer diz que já era de se esperar a fuga de grandes empresas, entre elas a Ford, que preferiu sair daqui e concentrar sua produção latino-americana na Argentina.

É o caos?
Há décadas que os grandes grupos econômicos usam uma mesma frase sobre a economia brasileira: “O Brasil será sempre um país do futuro e nunca do presente!” No entanto, boa parte dos brasileiros ainda tem fé nessa nação do novo milênio, grande produtor mundial de matéria prima, um dos grandes exportadores de petróleo, de carne, de soja, de suco de laranja, de açúcar. Mesmo admitindo que tudo o que produzimos hoje é vendido mais caro aqui para o nosso povo do que para aqueles que compram da gente.

Pelo amor, né?!
Eu medito sempre sobre aquela frase do médico indiano Deepak Chopra: “Todas as grandes mudanças são precedidas pelo caos”. Ou seja, você não limpa um cômodo cheio de entulhos sem que se faça uma grande poeira. Trocando em miúdos: o brasileiro é aquele que não aprende pelo amor, e sim, pela dor.


E chega de papo por hoje, porque eu vou tomar uma gelada!
Contato: ocimarbarbosa@diarioimparcial.com.br