Poucas & Boas: Temer escreve carta para Bolsonaro e tudo bem!

A resenha política da região e do país, sempre com aquele toque de humor

"Chegará o dia em que teremos que provar ao mundo que a grama é verde"
G.K. Chesterton

Estratégia, né?
Uma semana após a frustração de não invadir o STF, grupos bolsonaristas se revoltaram contra o presida, afinal, eles tinham a certeza que Jair ergueria a espada em riste e gritaria: “Avante, meus soldados!”. Mas, o capitão queria que isso partisse dos apoiadores, minhas crianças. Se houvesse a invasão, ele entraria para a história como grande ‘libertador’, uma espécie de Bolivar tupiniquim. Como ninguém ousou por ter pela frente um forte posicionamento legalista da Polícia Militar, Jair teve que recuar. Tem gente dizendo que foi estratégia... hehe

Peixoto condenado
Em uma matéria de autoria do jornalista Julio Codazi, o jornal O Vale informou na edição do último dia 10 sobre uma decisão judicial contra Roberto Peixoto, ex-prefeito de Taubaté entre 2005 a 2012. A sentença obriga Peixoto a desembolsar por volta de R$ 22,5 milhões em restituição aos cofres municipais. Nossssiora!!!

Devolução
O que ocorre é que o Ministério Público protocolou uma ação em janeiro de 2017, onde aponta que Peixoto autorizou o município pagar R$ 7,523 milhões a servidores temporários. Esse valor, que ainda pode ser corrigido, teria sido pago a título de aviso prévio e indenização na rescisão dos contratos de trabalho, no período de janeiro de 2009 a dezembro de 2012. Claro que a defesa de Roberto Peixoto informou que vai recorrer. Lembro que alguém de Taubaté disse certa vez que Peixoto é a lata do personagem Gargamel, dos Smurfs.

Esquerda não foi
Sem adesão de toda a chamada esquerda brasileira, foi fraca a manifestação organizada pelo Movimento Brasil Livre (MBL) neste domingo (12). O público na Esplanada dos Ministérios, no Rio de Janeiro e em São Paulo ficou muito aquém da expectativa, principalmente porque o MBL tentou uma nova pauta. A idéia era que todos fossem de branco com uma versão nova de “Diretas Já!” Quem gostou foi a turma do PT, que viu nesse evento uma cilada. "Imagine o PT em uma manifestação assim!"  disse Edu Kogempa.

É parte do jogo!
E outra, é óbvio e ululante que o PT não quer o impeachment do presidente. E não é porque seus membros têm bom coração, pelo contrário. É a vingança de ter o sistema tirado Dilma Rousseff do poder. Agora, os vermelhos esperam o sangramento do governo até a última gota. A expectativa de um cenário de terra arrasada é uma das projeções do PT para atrair a súplica popular pela volta do partido ao poder, e daí quem sabe com discurso triunfante, tipo assim: “Vocês não queriam a Direita no poder? Olha aí o que fizeram com o país!”

Sítio I
Voltando ao desdobramento das manifestações de domingo último, quando falavam que "Dia 7, o Brasil vai tremer!" , eu vi mesmo essa parada. Foi um festival de memes, revoltas, choro e contradições. Um grupo de manifestantes chegou a comemorar ao receber uma mensagem fake (como de praxe), informando que Bolsonaro tinha acabado de decretar “estado de sítio”. Só se for o Sítio do Pica-Pau Amarelo. SLk, meu? Um outro chorou emocionado, vai vendo o bagulho...

Sítio II
Destarte, nesse ambiente em que a obscura ministra Damares disse certa vez ter visto Jesus na goiabeira, dá pra criar um meme a cada 30 segundos. Estado de sítio é uma circunstância extrema e de acordo com as leis brasileiras, somente em situação de guerra pode ocorrer. O rompimento institucional se opõe diametralmente ao Estado Democrático de Direito e essa articulação já estava sendo monitorada lá fora, nos Estados Unidos e nas potências estrangeiras. Em breve os jornais do mundo vão falar sobre isso!

Ataque de nervos
Só que a rapadura é doce, mas não é mole não! Tanto que houve uma mudança de postura quase que relâmpago. No dia 8, a Bolsa de Valores foi quase ao subsolo, enquanto o dólar foi pra cima como um foguete. Empresários entraram em discussão, debates, ligações internacionais e o assunto impeachment entrou forte no radar, tomando conta do mercado.

Direto da Pensilvânia
A ficha caiu mesmo quando Jair anunciou para dia 8 a reunião do Conselho da República,mas não obteve a confirmação de presença dos presidentes da Câmara, do Senado e do Supremo Tribunal Federal. Tanto que bateu correria e corrimento. E o grupo do presidente pensou em chamar Michel Temer - o mesmo que no dia 22 de fevereiro de 2017 nomeou ministro do STF, sabe quem? Alexandre de Moraes!!!

Líder é líder
De maneira surpreendente, seu Jair (seu, não meu) ligou para Michel Temer, figura sempre presente nos acontecimentos políticos do país. Temer não viu o dilúvio, mas pisou no barro. Em seguida, um avião da frota presencial decolou de Brasília e seguiu até São Paulo para buscar o decano do MDB que após chegar na capital federal, participou de uma reunião que durou mais de cinco horas.

Almoço grátis?
Temer é desafeto de Bolsonaro, mas sabe fazer o jogo, como por exemplo, redigir uma carta política de apaziguamento. Ficou claro que o chefe da nação só entregou a carta, porque vamos ser sinceros, os termos usados no documento não têm o perfil de Bolsonaro nem que a vaca tussa (sem trocadilho). Seria como a Rainha Elisabeth colocar piercing no umbigo, tá ligado?
Mas agora, vamos pensar uma coisa: Temer tem cara de que faz um favor sem levar nada em troca, ainda mais de um desafeto?

Errou rude!
Dali em diante, o que se viu foi outro Bolsonaro, mais comedido, mais sussa do que água de poço, dando desculpas para os apoiadores. De repente, o presida que deu um ultimato ao STF e chamava seu presidente de ‘canalha’ passou a alegar que aquilo foi dito ‘no calor do momento’. Calor, né?  Calor foi o que veio depois, em que até os membros do Governo afirmaram que Jair errou. E errou rude!

E toma fake!
E eis que nos dias seguintes começou a circular uma nova narrativa, umas ‘viagens’ de que o congresso vai votar pautas que o presidente ‘exige’, entre elas: ICMS único sobre os combustíveis em todo Brasil; liberação para compra de armas pelos cidadãos de bem; Oswaldo Eustáquio e Zé Trovão sem risco de prisão; libertação de Roberto Jefferson e outros informes sem qualquer procedência.
Vão esperar sentados ou tocando berrante?!

Não dá idéia, presida!
"A vida de presidente não é fácil, se alguém quiser trocar comigo, troco agora", disse Bolsonaro durante uma feira agropecuária no interior do Rio Grande do Sul. Pois bem, Hamilton Mourão tem recebido visitas de gente forte na calada da noite.

Para pensar
Nem conservadores, nem humoristas acreditam que o homem é bom. Mas os esquerdistas acreditam.

(P. J. O´Rourke)

Chega por hoje!
Hora de tomar um whísky com gelo de água de côco!
Contato: ocimar@diarioimparcial.com.br