Em campanha salarial, trabalhadores da Gerdau fazem paralisação em Pindamonhangaba

Protesto teve como objetivo pressionar as bancadas patronais a avançarem nas negociações com a classe

Em campanha salarial, trabalhadores da Gerdau fazem paralisação em Pindamonhangaba
Crédito: Guilherme Moura

Os trabalhadores da fábrica Gerdau de Pindamonhangaba cruzaram os braços na manhã desta quarta-feira (22). A Gerdau de Pindamonhangaba emprega cerca de 2.400 trabalhadores na produção de laminados de aço.

A paralisação foi encerrada por volta das 09h30 e teve por objetivo conseguir respostas da empresa por reivindicações já feitas na Campanha Salarial 2021. Em assembleia, os trabalhadores também aprovaram que as mobilizações sejam intensificadas se as negociações não avançarem.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba, este mês foi divulgado o índice referente à inflação (INPC) dos últimos 12 meses, de 10,42%, que ficou maior do que o registrado ano passado, de 2,94%.

Nesse mesmo período, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos, a unidade Gerdau de Pinda esteve operando com a totalidade do seu efetivo e registrou vários recordes de produção.

De acordo com o presidente André Oliveira, o motivo do protesto é o de pressionar as bancadas patronais a avançarem nas negociações com os sindicatos e com a FEM-CUT/SP (Federação dos Metalúrgicos da CUT).

“É uma campanha salarial dura. Está muito difícil chegar no índice da inflação, e os patrões ainda querem parcelar o reajuste. Aqui na Gerdau, pelo nível de produção, pelo lucro recorde que ela está tendo, isso não é justo. O sindicato vai sim buscar inclusive o aumento real de salário”, disse.

A entidade pontua que, em agosto, a Gerdau divulgou o resultado financeiro, com recorde histórico. No semestre, o Ebitda (lucro antes de juros e impostos) ajustado cresceu 309%, alcançando R$ 10,21 bilhões. O valor também é 327% maior que o mesmo período de antes da pandemia, em 2019.

Outro lado – Até o momento, a Gerdau não se manifestou sobre a paralisação dos trabalhadores.