Dia de Finados: Vale do Paraíba tem roteiro de visitação a túmulos de famosos

No Vale, o visitante sempre passa pelos túmulos de personalidades como o do cineasta Amácio Mazzaropi, do violonista Dilermando Reis, e do falecido atleta de salto triplo, João do Pulo

Dia de Finados: Vale do Paraíba tem roteiro de visitação a túmulos de famosos
Jazigos do Visconde das Palmeiras e Barão de Itapeva, em Pindamonhangaba (Crédito: Diário Imparcial)

Ocimar Barbosa Com a volta da visitação aos cemitérios no Dia de Finados, o cidadão do Vale do Paraíba agora tem um pouco mais de tranquilidade e pode voltar a visitar os jazigos de seus entes queridos e antepassados. Mas, os cemitérios da região atraem também o publico por outra razão.

No Vale estão sepultadas várias personalidades de destaque no cenário nacional, como artistas, religiosos, políticos ou personagens histórios. Outros locais são reverenciados pelas pessoas como sendo 'milagreiro' e resistem ao tempo como uma espécie de lenda urbana.

Assim, o itinerário entre um túmulo e outro inclui quase sempre uma parada na sepultura de alguém famoso.

Jacareí - Na cidade de Jacareí, um túmulo que recebe grande visitação é o da menina Janaína. Ela morreu aos cinco dias de vida, de infecção pulmonar  e está sepultada no cemitério do Avareí. A população da cidade comenta sobre várias graças recebidas e, dessa forma, o local tornou-se ao longo do tempo um dos mais procurados no dia de Finados na cidade de Jacareí.

São Jose dos Campos – O cemitério na região central de São Jose tem o túmulo do padre Rodolfo Komorek - que denomina o campo santo – como um dos que mais recebe visitantes. Padre Rodolfo veio da Polônia nos anos 40 para cuidar de problemas pulmonares e sua dedicação aos doentes tuberculosos ganhou a estima do povo joseense. Ele faleceu em 1949 e seu túmulo é muito procurado para pedidos de graças.

Também está sepultado no cemitério o estudante joseense Euclides Miragaia, revolucionário de 1932. No cemitério Padre Rodolfo Komorek ainda se encontra a sepultura do Padre Wagner, morto a facadas em 2003 na cidade de Santa Isabel.

No bairro de Santana, na zona norte de São Jose dos Campos, existe o Cemitério Maria Peregrina. Ela é um dos nomes mais conhecidos do folclore da região e é tratada com santa popular. Passou a ser considerada santinha pelo povo joseense a partir de sua morte em 1964 e dá nome ao cemitério.

Caçapava - No Cemitério da Saudade, em Caçapava, está sepultada Ditinha, a "Menina Santa", assassinada pelo tio pedófilo em 1928 quando tinha 8 anos de vida. Na época, diz a população caçapavense, seu corpinho foi encontrado na mata da antiga fábrica da Mafersa, enterrado em uma vala e coberto por folhas de bananeira.

Taubaté - No bairro do Belém, região alta de Taubaté, está localizado o cemitério municipal onde está sepultada Daniela, outra menina a quem são atribuídas muitas graças obtidas pelo povo. Ela morreu em 1990, atropelada aos 7 anos quando seguia para a escola. Seu túmulo recebe oferendas singelas como bonecas, flores, brinquedos, doces e fotos de quem pede ou agradece uma graça.

O Cemitério da Venerável Ordem Terceira, no convento de Santa Clara, também recebe muitas visitas. Um dos túmulos mais procurados é o de Olga Guedes, morta pelo namorado na década de 30, aos 19 anos de vida. Ela é tratada com devoção pelo povo como a "Santinha de Taubaté".

Pindamonhangaba - Os cemitérios de Pindamonhangaba são, provavelmente, os que mais atraem visitas de outras cidades, inclusive em outras épocas do ano. Na cidade são encontradas a 'última morada' de importantes personalidades de fama nacional. 

No Cemitério Municipal reside a memória de Amácio Mazzaropi, ator e cineasta falecido em 1981, vítima de um câncer de medula. Durante todo o ano, o túmulo de Mazzaropi recebe visita de todo o Brasil. Verdadeiras caravanas são formadas em todo o Brasil para a visita ao jazigo de Mazzaropi.

Bem próximo dali está sepultado outro religioso considerado "milagreiro" pela população. É o Cônego José Luiz Pereira Ribeiro, morto em 1972. Sua sepultura é visitada durante o ano todo, e recebe pedidos em forma de bilhetes, a maioria pedindo emprego, cura de uma doença e até mesmo casamento.

Um túmulo que alimenta uma lenda urbana na cidade é o da Família Biscard. Na lateral do jazigo brota periodicamente um fio de água que a população insiste em dizer que tem propriedades milagrosas. A família não confirma e nem desestimula, e assim, em qualquer época do ano, o sepulcro é visitado e vive sempre com velas acesas pelos visitantes que deixam papéis com pedidos de bençãos. Há relatos de curas.

Também em Pinda, no Cemitério Santíssimo Sacramento (ao lado do cemitério municipal) estão os túmulos de importantes personalidades políticas. Próximos um do outro estão os jazigos das famílias tradicionais da nobreza cafeeeira como o Barão de Itapeva, Visconde das Palmeiras, Barão de Lessa e outros.

Também o renomado atleta do salto triplo, João Carlos de Oliveira, que faleceu em 1999 está sepultado nesse cemitério.  Filho da cidade, é conhecido mundialmente como "João do Pulo", um dos maiores nome do atletismo brasileiro. Ao lado dele está sepultado Thomaz Alckmin,  filho caçula do ex-governador Geraldo Alckmin, falecido em acidente aéreo em abril de 2015.

Guaratinguetá - No cemitério do Pedregulho, em Guaratinguetá, está sepultado o famoso violonista brasileiro Dilermando Reis. Falecido em 1977, o violonista chegou a ganhar um violão do presidente JK, grande fã de suas músicas.

A sepultura do músico Dilermando Reis é muito visitada e fácil de ser encontrada pois tem a escultura de um violão.