Carnaval 2021: Pindamonhangaba vai atuar contra fluxos e aglomerações

Nenhum tipo de evento tem autorização para ser feito em espaço público ou privado

Carnaval 2021: Pindamonhangaba vai atuar contra fluxos e aglomerações
Cap. PM Lucimeire Jerônimo orienta seus comandando em Pindamonhangaba

O carnaval propriamente dito não vai ocorrer em todas as cidades brasileiras, pelo menos o bom senso assim rege. Mas há sempre uma tentativa de burlar as determinações que buscam evitar as aglomerações, um dos fatores de risco do aumento de casos da pandemia.

Em Pindamonhangaba, a Guarda Civil Metropolitana (GCM) e a Polícia Militar foram orientadas para coibir fluxos e grande concentração de pessoas. As ações vão ocorrer principalmente nos dias 13, 14, 15 e 16 de fevereiro quando haverá fiscalização e patrulhamento preventivo para coibir a realização desses tipos de festividades nos dias de Carnaval.

Na RM Vale, quase todas as prefeituras decidiram tornar o feriado de Carnaval em dia útil. Dessa forma, as atividades comerciais e serviços (exceto atividades bancárias) estarão funcionando normalmente, o que de alguma forma já inibirá a realização de eventos que gerem aglomeração.

“Tivemos em meados de janeiro a consequência da movimentação do Natal e festividades de final de ano. Gripários lotados e índice de ocupação da UTI atingindo 100%. Por isso, devemos ter a consciência de que no momento os encontros sociais precisam ser evitados para preservar a nossa saúde e da coletividade”, afirmou o secretário de Segurança, Fabrício Pereira.

De acordo com o secretário, a ação dos agentes de segurança em coibir os encontros sociais visa atender um anseio da população, preocupada com aumento do contágio do vírus e a alta nos números de casos e ocupação de leitos hospitalares.

Sem autorização - O município de Pindamonhangaba está classificado na fase laranja do Plano SP. Com o respaldo das normas estaduais, nenhum tipo de evento tem autorização para ser feito em espaço público ou privado. As festas clandestinas que reúnem grande quantidade de pessoas também são foco da fiscalização. As irregularidades serão registradas e o responsável ou proprietário do imóvel responderão por crime contra a saúde pública.

Locais de aglomeração - Dentre os pontos já detectados e que receberão a ação estão as praças centrais (Sete de Setembro, Praça do Quartel, entre outras) e a Praça do Imigrante Japonês (Alto Cardoso), além de localidades em bairros distantes denunciadas por festas clandestinas.

Fiscais no comércio - Além da fiscalização, os fiscais da Vigilância Epidemiológica e do Departamento de Posturas e Rendas também irão atuar junto aos estabelecimentos comerciais (bares, restaurantes, adegas, entre outros) visando o cumprimento das normas sanitárias em vigor.

Denúncias - O munícipe que perceber algum tipo de concentração de pessoas que esteja infringindo as determinações das autoridades do município poderá utilizar o aplicativo E Ouve e formalizar as denúncias através da Ouvidoria Municipal.